Categoria de vídeos

O professor e a garota do xnxx

Continuação do conto Peguei minha aluna vendo porno, em que o professor de matética pega uma aluna vendo conteúdos adultos na sala de aula.

Depois do professor pegar a garota vendo xnxx, saiba qual foi a continuação da história:

Minhas pernas chegam a estremecer, não sei se de desespero, ou do tesão que estou tendo que segurar. Isso me tira um pouco a atenção do que está acontecendo, mas logo eu retomo o juízo.

Giro o pescoço rapidamente para me dar conta do que está acontecendo ali. Onde a maluca foi?

Com o olhar sapeca de quem gosta do perigo, ela simplesmente levanta da cadeira e vai até a porta. Nem olha pra ver se alguém estava espiando. Fecha rápido e tranca.

Meu coração dispara, bate tão rápido quanto o que corre pelas veias do meu pênis, agora mais duro do que nunca. Estou tentando relutar, estou tentando falar. Na minha cabeça eu sei que eu devo perguntar o que é aquilo. Juro que pensei em parar tudo, e perguntar com a cara mais lavada do mundo o que ela estava fazendo, qual sua intenção.

Alguém poderia até ter armado aquilo para mim. Uma emboscada. Depois eu poderia ser acusado de assédio, deixando minha vaga para outro…

Embora a razão tentasse me puxar para a realidade, e para todas as possibilidades, algo lá embaixo falava muito mais alto.

Voltando da porta, o olhar dela agora está mais safado do que nunca. Engulo em seco quando ela se aproxima, e toca a minha nuca. E antes que pudesse falar qualquer coisa, seus lábios carnudos logo tocam os meus.

professor e alunaUm beijo que me tira todas as forças. A língua enorme entra rápido na minha boca, me beija e me chupa. Quando termina, arranca a camisa de botões rapidamente. O sutiã branco de algodão a faz parecer uma ninfeta vinda dos mais quentes sonhos que um homem na minha idade pode ter.

Abre a minha calça e retira o cinto com uma habilidade que não me parece condizer com a idade daquela moça novinha. Mas bobo eu, mais uma vez…

Habilidade mesmo é o que ela prova quando começa um sexo oral de fazer qualquer cidadão perder a compostura. Nessa hora eu já quase desfaleço de tanto desejo. Fecho os olhos e sinto aqueles lábios tocando o meu membro com tamanha vontade, que é impossível de descrever.

Ela simplesmente consegue sugar como só uma profissional conseguiria. A habilidade é tanta que quase me faz ejacular dentro de sua boca, sem nem ao menos provar do mais importante.

Só ela me domina, mas decido que é hora disso acabar!

Não foi nem pensado. Num impulso feroz, agarro aquela maluca gostosinha. Tornando-me um selvagem, assim como ela, chupo o seu pescoço, apertando os seios com uma mão, e enfiando na calcinha a outra.

Que safada! Sua calcinha está úmida. Minha mão encontra ali sua buceta encharcada de tesão. Na calcinha, uma porrinha grudada. A maluca deve ter passado a aula toda com tesão. Isso me deixa ainda mais louco.

Minha atenção se volta toda para a parte debaixo de seu corpo. Tiro sua calça, e agora sim com a experiência de um coroa que já desnudou muitas bucetas.

Nem deixo ela tirar. Viro com força ela de costas. Abaixo suas calças até a altura do joelho, não tenho mais tempo a perder. Coloco ela em pé mesmo, com as mãos apoiadas na carteira. Enfio o pau com força naquela buceta toda molhada e sei que vai entrar com facilidade.

Entra fácil até demais, mas no meio do caminho, a bucetinha ainda bem estreita, dá uma apertada. Um gemido safado da ninfeta que pede pra continuar. Vou tirando e colocando aos poucos mas ainda assim rápido. Não aguento mais de vontade de provar daquela delícia.

Estocadas rápidas, e enfio a mão dentro do seu sutiã. Quero sentir quanto mais eu puder daquele corpo, e possuir ele por inteiro.

A essa altura já não penso mais racionalmente. O tesão é o que me guia. Aproveitando-me daquela buceta suculenta e molhada há muito tempo desejando um pênis bruto arrombando, eu tiro dali. Quem está no comando agora mais do que nunca sou eu. E descubro que na verdade era exatamente aquilo que ela queria com seu jeito autoritário. Alguém que a dominasse.

Tiro da sua buceta. Por mais suculenta que esteja, quero mais. Enfio dois dedos nela, e quando tiro saem melados. Era essa a intenção. Passo no buraquinho de seu cuzinho clarinho. Enfio o dedo do meio, e aquele apertadinho me faz pirar ainda mais, e agora por completo.

Só a cabeça já entra com dificuldade. Que delícia de cú apertado. Ela geme um pouco mais, e bem safada, pede para meter tudo. Eu balanço a cabeça dizendo, “não me pede isso”. Mas é claro que eu não tenho como e nem quero evitar. Enfio por inteiro em seu ânus. E percebo que não era só a buceta que era suculenta. Seu cuzinho também.

Estoco com força. Perdi totalmente o juízo então quero aproveitar cada segundo. Já não respondo mais por mim. Enquanto a safada geme no anal eu estoco cada vez mais rápido, ela com a língua para fora e uma cara que nem a prostituta mais tarada faria. Enfio o dedo em sua boca e não sei como isso não aconteceu antes:

A melhor gozada da minha vida vem num jato tão rápido que acaba sendo dentro. Não tive tempo para pensar em tirar meu pau, e encho o cú da ninfeta com minha porra. Foi bem lá no fundo, na estocada mais profunda. Meu pau lateja enquanto despeja todo o gozo que pode naquele rabinho. Essa maluca é mesmo uma selvagem!

Aguentou estocada por estocada no cú. Sem reclamar, pelo contrário. Parecia estar adorando tudo aquilo, o que me deixou maluquinho de tesão.

Não trocamos uma palavra sequer. Apenas fluidos sexuais, chupadas e o segredo mais gostoso que eu jamais imaginaria ter que guardar.

Até hoje o meu pênis sente o ardor de tesão que aquela garota me provocou, e lateja com a lembrança de cada pedaço úmido daquele corpo que ao menos por um alguns minutos me pertenceu.

93%
Mais Votados : 16

962  Visto

outubro 26, 2016
Categorias
Adult Wordpress Themes